Por Gênesis Ricardo

Jugo desigual

Qual é sua definição?

 

     Se você  nasceu  e  cresceu  na região urbana, provavelmente não sabe o que é e como funciona um jugo. Não se sinta mal por isso, acredito que maioria das pessoas também não sabem. De forma simples: Jugo é uma peça feita de madeira que é utilizada para unir dois bois, para que andem no mesmo compasso enquanto puxam um arado ou uma carroça.  É  também  chamada  de canga ou junta de bois. Logo, um jugo desigual, consiste, por exemplo, em colocar dois  animais  de  estaturas diferentes sob o mesmo jugo; fazendo com o que o trabalho não seja realizado de forma satisfatória, ou impossibilitando o mesmo. 

     Em um contexto amplo, o jugo desigual não está relacionado apenas a confissões de fé (religião) diferentes, esse conceito se estende a: classe social, filosofia de vida, cultura, vocação ministerial, etc. O nosso foco aqui será abordar o  conceito  de  jugo  desigual  no  contexto  religioso;  Já  que  o apóstolo Paulo se utiliza da figura do jugo em sua segunda carta aos coríntios para exemplificar a relação entre um cristão e um não cristão. Vejamos o que diz o texto: "Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas?" (2Co 6.4). A luz dessa passagem, entendemos, que embora a união entre um cristão e um não cristão, não seja motivo para exclusão de um membro (há igrejas que pensam diferentes), ela apresenta uma grande probabilidade de problemas futuros, como veremos mais tarde. A cada dia que se passa, mais questionamentos são levantados em relação a esse tema; para não citar o número crescente de jovens cristãos que tem adentrado por esse caminho.

     Quais os argumentos daqueles que defendem, desejam entrar ou já entraram em um jugo desigual? E por que são  falaciosos!

O argumento mais comum é: "mas ele é quase crente!". É bom deixar claro uma coisa; o fato dele ser filho de crente, não beber, não fumar, não ir a balada, etc, não faz dele um cristão. Mesmo com todas essas " qualidades" ele continuará um escravo do pecado e inimigo de Deus; se você não ver nenhum problema em está casado com alguém que é inimigo de Deus e escravo do pecado, então tudo bem, vá em frente. Outro argumento defendido é: "eu tenho uma amiga cristã que casou com um descrente, e depois de algum tempo ele se converteu, e hoje são uma bênção!". Tudo bem, mas, com certeza essa pessoa teria dificuldades em  mencionar outros cinco casos onde tal união foi bem sucedida. Ou seja, para cada um caso que deu certo, existem dez outros que deram errados. Se você quer pagar pra ver, tudo bem! Mas, se eu fosse você, não arriscaria a minha felicidade futura, entrando em uma união não recomendada pela bíblia. O salmista foi bastante feliz quando declarou: "Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho." Sl 119.105. Precisamos entender, que quando Deus condena (proíbe) determinadas práticas, não é por caprichos, maldade, ou uma forma de estragar nosso "prazer". Quando Deus nos orienta em determinadas áreas, a finalidade é sempre o nosso bem (Sl. 100.5; Mt. 7.11; Rm. 12.2) e a sua glória (1 Co 10.31; Cl. 3.17).

Conclusão

Jesus afirmou que um reino dividido não subsiste (Mc 3. 24), e que ninguém pode servir a dois senhores (Mt. 6.24). Você já se imaginou dentro de um lar divido? Como você será a educação de seus filhos? Qual o deus que eles servirão? o seu, ou o do seu esposo? Como conciliar a programação de TV (filmes, séries, músicas, etc) que serão exibidos em seu lar, entre sua fé e a do seu esposo? Como serão os domingos, quando vc sair de manhã para o culto, e ele sair para o churrasco, futebol e bebidas com os amigos? 

Se os argumentos citados acima não foram suficiente para te convencer a não entrar em um julgo desigual, ao menos, não o faça por essa ser a vontade do seu Senhor e Deus.

Um  ministério  para  o  fortalecimento  dos  jovens  em  sua caminhada cristã.

Ministério

de Jovens

A opinião de alguns pastores sobre esse tema