O CHAMADO PARA SER DISCÍPULO

Mateus 4.18-22

 21 de Agosto de 2017

 

     Jesus veio salvar uma humanidade decaída e levantar um povo que o louvasse para sempre. Ao desempenhar essa missão, ele ministrou entre nós como servo, cuidando dos doentes, curando os abatidos pela dor e pregando o evangelho às multidões. Mas, em tudo isso, ele concentrou a atenção em fazer discípulos — pessoas que aprendessem dele e seguissem seus passos.

     Após sua morte e ressurreição, antes de subir ao céu, ele disse a seus seguidores: “[...] vão e façam discípulos de todas as nações [...]”. Eles puderam entender o que Jesus queria dizer, porque ele estava pedindo apenas que dessem continuidade àquilo que havia praticado com eles.

     O maravilhoso Evangelho do Reino não era apenas para os homens que viviam nos dias do ministério terreno de Jesus. Ele foi destinado a todas as épocas. Portanto, não nos surpreende o fato de que, logo no início de seu ministério, Jesus escolhesse homens que por meio de seu testemunho, perpetuassem a sua obra e proclamassem sua mensagem.

     Assim, de acordo com Mateus 4.18-22, o chamado para ser discípulo é um chamado que envolve, pelo menos, 4 princípios:

 

1. A iniciativa é do próprio Jesus (mestre) (vv18-19):

    Enquanto caminhava pelas praias do mar da Galileia, Jesus convida alguns homens para acompanhá-lo. Conforme podemos ver na passagem, é o próprio Jesus quem toma a iniciativa de chamar para si os seus discípulos. O texto diz que Ele viu e chamou: “”. Outras passagens que reforçam isso são: o chamado de Mateus (Mt 9.9); a escolha dos 12 apóstolos (Mt 10.1) e Marcos 3.13 que diz que ele chamou os que ele mesmo quis, e vieram para junto dele. Portanto, por iniciativa própria, Jesus chama os seus seguidores!

2. É uma ordem para seguir a Jesus e sua Missão (v19):

    Jesus é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis. E o Senhor do Universo ordena que pessoas o sigam. Seu chamado a Pedro e André (Mt 4.18,19) e a Tiago e João (Mt 4.21) foi uma ordem. “Siga-me” (vinde após mim) sempre tem sido uma ordem, nunca um convite (Jo 1.43). A obediência à ordem de Cristo, “Siga-me”, resulta na morte de si mesmo. O cristianismo sem essa morte (do eu) é apenas uma filosofia abstrata. É um cristianismo sem Cristo (Mt 10.18; 16.24-25; Lc 9.23-24). Assim, o chamado de Cristo para o discipulado é um chamado para a morte de si mesmo, uma entrega absoluta a Deus (Gl 2.20).

 

3. Tem como objetivo a transformação e multiplicação (v19):

    Um estudo cuidadoso do ensino e da vida de Cristo revela que o discipulado possui dois componentes essenciais: a morte de si mesmo e a multiplicação. São essas as ideias básicas de todo o ministério de Jesus. Jesus faz uma promessa àqueles homens: transformá-los em pescadores de homens. Jesus os chama para outro tipo de pesca, na qual eles não mais iriam pescar peixes para a mesa, mas homens, ou seja, vidas para o reino de Deus. Cristo ordenou que seus discípulos reproduzissem em outros a plenitude de vida que encontraram nele (Jo 15.8). Todo discípulo faz parte de um processo, faz parte do método escolhido por Deus para expandir seu Reino por meio da reprodução.

 

4. Requer obediência imediata (vv 20,22):

    Quando Jesus chama uma pessoa para segui-lo, Ele espera uma obediência imediata ao seu chamado, (este chamado tem um caráter urgente!). O Senhor exerce sua soberania sobre esses homens, pois não os permite concluir seus trabalhos. Eles devem estar prontos para segui-Lo imediatamente ao ouvirem o chamado dele (Mt 8.21-22; 10.37). O texto é claro ao dizer que Pedro e André e o . E também Tiago e João no ... e o seguiram.

 

    A passagem de Mateus 4. 18-22 nos ensina uma Verdade Prática: Fazer discípulos é um processo que começa com ser modelo. O caráter é transmitido, e não ensinado. É por isso que os discípulos de Cristo abandonaram suas profissões para estarem com Ele (Mc 3.14). Primeiro, tinham de seguir Jesus. Só então Ele poderia treiná-los para ser “pescadores de homens”.

    A maior recompensa de seguir a Jesus é desfrutar de sua presença e obter a vida eterna, que começa aqui (Lucas 18. 28-38)!

 

Implicações:

  • Seja grato ao Senhor Jesus, pois Ele mesmo, através de Sua obra, tomou a iniciativa de chamar você para ser Seu discípulo;

  • Por nós mesmos não seriamos capazes de seguir a Cristo, antes, seguiríamos outras coisas (o mundo, o eu, o Diabo, etc);

  • Você está disposto a seguir a Jesus, negando a si mesmo e tomando a sua cruz? Você está disposto a deixar tudo para seguir ao Mestre?

  • Você tem sido um pescador de almas? Tem reproduzido em outra pessoa a plenitude de vida (a vida de Cristo) que você encontrou Nele?

  • Você está disposto a obedecer ao chamado de Deus de forma imediata, deixando, imediatamente e no mesmo instante?

 

 

No amor de Cristo,

Pr. Carlos

PASTORAIS

Veja outras mensagens clicando na imagem ao lado ou  no Menu Recursos, sessão Pastorais.

Please reload

Vídeo em destaque

Veja também